Empreendedor realiza o registro de sua marca

Registro de marca: um passo importante para proteger a sua imagem

Proteger a sua marca legalmente é de extrema importância, assim você pode evitar copiadores e plágio por parte da concorrência, além de ganhar espaço no mercado. Mas, para isso, é preciso fazer o registro da sua marca.

Dessa forma, você terá o direito de explorar comercialmente a imagem do seu negócio. E, no texto de hoje, você aprenderá quais são os passos necessários para garantir o seu registro. Acompanhe!

Registro de Marca: é preciso pagar por isso?

Sim! Como são necessários vários processos para garantir sua propriedade sobre a marca, não é possível realizar o registro de forma gratuita.

O primeiro passo é solicitar o registo junto ao Instituto Nacional da Propriedade Industrial (INPI), assim você garantirá que não aconteça utilização indevida do seu logotipo ou nome.

Ao realizar esse procedimento você garante a proteção da sua marca em todo o território nacional, e ainda existe a opção de garantir o registro em mais 137 países. E, por isso, todos esses processos têm custos.

Esse é um investimento importante para o seu negócio, pois, irá garantir que apenas você tenha propriedade sobre a sua marca, além de outras vantagens como:

  • Impedir que a concorrência use sua marca de forma indevida; 
  • Permite que você explore os direitos da marca;
  • Permite que você realize a venda da marca;
  • Permite o direito à notificação e processo judicial no caso do uso indevido e sem autorização da marca.

Registro de marca: o que é preciso para realizar a ação?

Para realizar o registro da sua marca é preciso possuir um nome comercial e um logotipo que represente seu negócio. Palavras, símbolos, frases, desenhos ou uma combinação de todos esses elementos são reconhecidos como marca pelo INPI.

Já, em relação aos documentos, é preciso apresentar um documento constitutivo da empresa, seja com contrato social, certificado MEI ou ato institucional, e o logotipo criado, o que é opcional.

Por fim, é preciso gerar a Guia de Recolhimento da União (GRU) e efetuar o pagamento das taxas existentes.

Para saber mais: Empreendedorismo na prática: tudo o que você precisa saber antes de começar seu próprio negócio

5 passos para registrar a sua marca

O registro da sua marca pode ser feito totalmente online, diretamente no site do INPI, mas é preciso seguir alguns passos. Confira!

1. Faça uma busca pela marca

Antes de registrar é preciso fazer uma pesquisa minuciosa no banco de dados do INPI para garantir que o nome ainda não está em uso.

No sistema de busca do site é preciso escolher a opção “marca” e procurar pelo nome exato que você deseja usar (ou algo similar) e incluir a classificação. Na lista final você irá encontrar marcas em diversos status, mas é preciso atentar-se apenas àquelas marcadas como “registro de marca em vigor”.

2. Se cadastre no INPI e leia o Manual de Marcas

Se a marca que você deseja utilizar estiver disponível então é só solicitar o pedido de registro no INPI e realizar o cadastro como pessoa física ou jurídica.

Em seguida leia o Manual de Marcas disponibilizado, nele você encontrará todas as informações e tipos de marcas para realizar o pedido de registro.

3. Pague a Guia de de Recolhimento

Antes de realizar o pedido de registro de marca é preciso gerar a GRU e realizar o pagamento. Basta acessar o sistema de emissão de GRU para ter acesso.

4. Dê entrada e acompanhe o pedido

Após pagar a GRU você poderá acessar o sistema de Marcas, assim bastará preencher o formulário e dar entrada ao pedido de registro.

Depois de concluir o pedido, anexar os documentos necessários e a imagem do logotipo, é só acompanhar a solicitação. Para isso você deverá consultar a Revista de Propriedade Industrial (RPI), que é publicada toda semana pelo INPI.

5. Pague a taxa ou apresente recurso para a concessão

Se a sua solicitação de registro foi deferida você precisará realizar o pagamento da taxa de concessão do registro e finalizar o processo. Assim você irá garantir o direito de uso da marca por um período de dez anos. Mas, se seu pedido for indeferido você deverá entrar com recurso, elaborado de acordo com as alegações do INPI.

Este texto é um oferecimento da Tiva, um aplicativo gratuito para gestão financeira de pequenos negócios, profissionais liberais, autônomos e ONGs. Com essa tecnologia, ficou muito mais simples enviar cobranças e receber pagamentos dos seus clientes e colaboradores, de forma automática.

Baixe gratuitamente e conheça! Disponível na Play Store e na App Store.

Simplifique e receba, use Tiva!

Você também pode gostar

Deixe um comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Crie o seu cadastro!

Automatize suas cobranças, otimize seu tempo e pare de passar constrangimento na hora da cobrança.

Cadastro

"*" indica campos obrigatórios

Concordo*